IBGE faz campanha para que população responda à pesquisa por telefone

Por causa da pandemia, coleta de informações deixou de ser feita presencialmente. Pnad é uma das maiores pesquisas do instituto e responsável pelo principal indicador do mercado de trabalho.

Foi lançada nesta sexta-feira (5) uma campanha do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para que a população responda, por telefone, à Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad). Trata-se da maior pesquisa do instituto, responsável pelo principal indicador do mercado de trabalho, além de dados sobre moradia, educação e saúde do país.

A Pnad Contínua é realizada mensalmente e colhe informações de cerca de 70 mil domicílios, espalhados em todas as regiões do país. Ela sempre foi realizada presencialmente, com visita dos entrevistadores aos domicílios selecionados. Por causa da pandemia do coronavírus, porém, ela passou a ser realizada remotamente, por telefone.

“A decisão do Instituto buscava garantir a segurança dos entrevistadores e dos informantes. No entanto, desde que o trabalho está sendo feito de casa, os desafios na coleta aumentaram. O principal deles tem sido conseguir os números de telefone dos moradores dos domicílios selecionados”, destacou o IBGE.

A alternativa encontrada pelo IBGE para conseguir o número de telefone dos domicílios selecionados para participarem da Pnad foi o envio de cartas, via Correios ou portador, e telegramas solicitando que o morador entre em contato com o instituto para informar o número atualizado.

Além da dificuldade de conseguir o número de telefone atualizado dos domicílios, o IBGE diz que aumentou o número de pessoas que se recusam a participar da pesquisa.

“Quando você está na rua, você está testa a testa com o informante e fica mais simples explicar e tentar convencer a pessoa a responder a pesquisa. Então, tínhamos muitas quebras de recusas. Já por telefone, é mais fácil de a pessoa te dispensar”, apontou o agente de pesquisas e mapeamento do IBGE, Miguel Ferreira Neto.

Muitas pessoas teriam receio de responder à pesquisa por telefone por desconfiarem se o contato é, realmente, feito pelo IBGE. O instituto enfatizou que, ao ser abordada por um entrevistador, a pessoa pode pode solicitar o número do RG, CPF ou da matrícula do agente e checar a identidade por meio do portal Respondendo ao IBGE. A consulta também pode ser feita por meio do telefone 0800 721 8181.

O IBGE conta com cerca de 2 mil pesquisadores para as entrevistas da Pnad. Quando a coleta passou a ser feita por telefone, o instituto realizou a capacitação de todos os agentes para que a abordagem fosse feita de forma adequada.

60% de aproveitamento

Segundo o IBGE, com a pesquisa presencial, 90% da amostra era aproveitada. Desde que passou a ser feita por telefone, porém, o percentual de aproveitamento caiu para 60%.

A coordenadora de Trabalho e Rendimento do IBGE, Maria Lucia Vieira, afirma que, apesar da queda no aproveitamento da amostra, o rigor estatístico está mantido.

“Os dados ainda estão bons, são significativos, mas quanto mais entrevistas realizadas, melhor. Esses dados são muito importantes para que se possa ter um acompanhamento do mercado de trabalho, especialmente nessa época de pandemia. A informação é necessária para que se possa fazer um correto diagnóstico da situação laboral no Brasil e implementar as políticas que são adequadas para promoção de empregos”, enfatizou.

O IBGE ressaltou que a Pnad Contínua é “o principal instrumento para acompanhamento da força de trabalho no país”. A periodicidade de coleta é trimestral e cada domicílio selecionado é entrevistado uma vez a cada trimestre, durante cinco trimestres consecutivos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui