Saiba a uva Tempranillo, a uva espanhola

Marco Antonio Carbonari, dono da vinícola Villa Santa Maria, conta que a uva tempranillo tem muitos nomes, como Cencibel, Ull de Llebre, Tinta Roriz, Tinta del Toro ou Tinta del Pais e isso faz com que sua identidade não seja valorizada. No entanto, é uma das cepas mais versáteis que se tem notícia, mais que a quantidade de nome que as leva, o que faz que mais de 60 nomes sejam utilizados para se referir a ela na Europa.

Oriunda da Espanha, a uva Tempranillo é muito utilizada na elaboração de vinhos tintos e, devido à sua boa adaptação aos diferentes climas e solos, ela tem sido cultivada em diversos países do Novo Mundo, como na Argentina, Austrália, Estados Unidos e África do Sul. Outra característica é que ela brota rapidamente, ou seja, consegue amadurecer mais rápido e, consequentemente, tem um ciclo mais curto.

Marco Antonio Carbonari diz que o vinho produzido por ela tem acidez equilibrada, teor alcoólico de nível médio/alto, que varia entre 13 e 14%, textura macia e com taninos incrivelmente elegantes. Muitos amantes do vinho revelam que seus aromas estão no meio do caminho entre os da Cabernet Sauvignon e da Pinot Noir.

Hoje, também é possível encontrar bons vinhos argentinos produzidos com a Tempranillo. A uva foi levada para o país sul-americano pelos espanhóis e, graças a algumas bodegas, bebidas de qualidade e bem estruturadas estão sendo elaboradas no país — que já competem, inclusive, com os vinhos europeus.

Marco Antonio Carbonari conta que um dos grandes destaques da Tempranillo é sua versatilidade para a harmonização. Ela  vai bem desde um prato mais gourmet e elaborado, como um suculento bife ancho com batatas rústicas, ou com nosso clássico PF brasileiro – arroz, feijão, batata frita e bife grelhado. Porém, se for um Tempranillo com passagem por barricas, aposte em pratos mais gordurosos, como uma picanha ou uma costela.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui